Coluna

Flávio Ricco

Anatel descarta desconto por exclusão de canais abertos da TV paga

Divulgação
Silvio Santos (SBT), Edir Macedo (Record) e Marcelo Carvalho e Amilcare Dallevo, da Rede TV!, emissoras que formam o grupo Simba Imagem: Divulgação
Arte/UOL
Flávio RiccoFlavio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL

28/07/2017 17h47

A Simba, joint-venture formada por Record, SBT e RedeTV! não esperava por essa: a Procuradoria Federal Especializada da Anatel (PFE), que tem entre as suas muitas funções, analisar questões jurídicas dos processos em tramitação na agência, considerou, nessa quarta-feira (26) que a retirada dos canais abertos da programação das operadoras não as obriga a concederem descontos aos assinantes. Uma ducha gelada!

A Simba via por ali uma forma de pressão nas operadoras, mas que não deu em nada, como se observa. O órgão divulgou o parecer em resposta ao processo movido pelo Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec), que cobrou explicações sobre a retirada dos canais Rede TV!, Record e SBT das operadoras em São Paulo e Brasília. O Inadec, vale informar, tem entre seus sócios fundadores o deputado Celso Russomanno, também da Record TV.

A Anatel lembra que, antes, havia uma obrigação para o carregamento desses canais, porém, com o fim das transmissões em sistema analógico, isso deixou de existir. Hoje, é preciso haver o consentimento das próprias emissoras para o carregamento. No caso das TVs da  Simba, elas querem ser remuneradas, e as operadoras não querem pagar. Essa queda de braço ainda vai longe, com prejuízo para ambas as partes.

*Colaboração de José Carlos Nery

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo