Topo

Coluna

Flávio Ricco

Marcelo Rezende foi um homem forte e brigou até o fim

Edu Moraes/Record
Rezende lutava contra um câncer no pâncreas e no fígado Imagem: Edu Moraes/Record
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL

17/09/2017 00h05

Não tem outro jeito de terminar este trabalho de hoje, sem ser lamentando a morte do Marcelo Rezende, antes de repórter e apresentador, um amigo de muitos anos. Fora Globo, Rede TV!, Band e Record, lugares por onde passou.

Foi um sofrimento acompanhar tudo que Marcelo passou, desde o dia que a sua doença foi descoberta. Um alguém que até neste último momento foi um bravo.

Inteligente e suficientemente esclarecido, sabia que a sua única saída era buscar alternativas diferentes das convencionais, para tentar superar aquilo que sua consciência indicava como sentença definitiva.

Foi um forte e brigou até o fim, com a mesma bravura que enfrentou outras tantas situações na sua vida.

Duro agora saber que, ao atender o telefone, nunca mais vou ouvir ele me saudando: “irmão, bom dia”. Neste momento de dor, para aqueles que tinham a sua amizade e carinho só resta rezar e pedir: “irmão, vá em paz”. 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!