Coluna

Flávio Ricco

TV Aparecida vai exibir novela "O Direito de Nascer" em 2018

Divulgação
Guilhermina Guinle em cena da novela "O Direito de Nascer", do SBT Imagem: Divulgação
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

02/12/2017 00h05

A TV Aparecida definiu “O Direito de Nascer”, versão apresentada pelo SBT em 2001, como substituta de “A Padroeira” e sua estreia está marcada para o dia 14 de fevereiro.

A exibição é decorrente de uma parceria com a JPO, de José Paulo Vallone, que já produz outro programa da casa, o “Chefs em Ação”. Essa investida reforça a abertura do canal para parcerias de conteúdo e dará continuidade ao hábito de consumo de teledramaturgia criado a partir de “A Padroeira”, história cedida pela Globo.

“Desde o início de ‘A Padroeira’ percebemos o quanto o gênero da teledramaturgia faz parte da cultura brasileira e da rotina dos nossos telespectadores. Por isso, buscamos histórias que cativem o nosso público e, ao mesmo tempo, agreguem valores. A novela ‘O Direito de Nascer’ é uma história mundialmente conhecida que mostra uma realidade de desrespeito e a necessidade do perdão. Esperamos que os nossos telespectadores gostem desta história e possam refletir sobre a importância dos relacionamentos humanos e familiares”, destaca seu diretor de programação, padre  William Betonio.

A novela de 125 capítulos é uma adaptação da radionovela homônima cubana escrita na década de 1940 por Félix B. Caignet, e apresentada no Brasil em três outras versões.

Dirigida por Roberto Talma, reúne no elenco Guilhermina Guinle, João Vitti, Luiz Guilherme, Cynthia Benini, Elaine Cristina, Valéria Alencar, Marcelo Mansfield, Neco Villa Lobos, Milhem Cortaz, entre outros.   

*Colaborou José Carlos Nery

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo