Topo

Coluna

Flávio Ricco

Pouco caso com a faixa da tarde é um dos grandes mistérios da TV

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

27/12/2017 00h06

Um dia pelo outro, e na TV como um todo, as diversas faixas de horário apresentam a manhã com aproximadamente 28% de aparelhos ligados; tarde, 45%; noite, 68% e madrugada 22%.

Pode haver uma pequena variação ou alteração em função de um acontecimento extraordinário, mas no geral nunca sai muito disso.

Das 18 às 24 horas, onde naturalmente tem mais, é notória a preocupação de todas as emissoras em se apresentar melhor e concentrar por ali os seus principais produtos e maiores investimentos. Faz parte do jogo.

Agora qual santo pode explicar a razão da faixa vespertina, mesmo colocada em segundo lugar na ordem dos ligados, não receber proporcionalmente a mesma atenção?

Ao contrário. Hoje, o que se percebe e de muito tempo se constata, é que a manhã e até a madrugada, como atrações e apelo, sempre estão mais apresentáveis. E recebem investimentos maiores.

Por mais sem sentido possa parecer, isso é até histórico. Há muito tempo é assim. Vai entender.

Fica difícil
O Investigação Discovery, como o próprio nome sugere, é um canal destinado a abordar os mais diferentes crimes, com a história de cada um e os segredos das suas investigações.

O problema é a falta de cuidado. Tem partes dos seus documentários que são exibidas em inglês, algumas com dublagem e outras sem coisa nenhuma. Absoluto descaso. 

Nova direção
Wanderley Villa Nova, experiente, com extensa ficha de serviços prestados, está acertando para dirigir o “Programa Amaury Junior” na Bandeirantes. Negociação nos 45 do segundo tempo.

Nome aprovado por todos, ele já tem participado, inclusive, das primeiras reuniões de produção.

Fifa / Reprodução
O estádio Spartak Moscou, uma das sedes da Copa da Rússia Imagem: Fifa / Reprodução
Problema pela frente
Os coordenadores das várias TVs habilitadas para a transmissão da Copa da Rússia, desde já, estão quebrando a cabeça para organizar os planos de transmissão.

Não bastasse ter que ajeitar tudo num país com 11 fusos horários diferentes, as distâncias entre as sedes são muito grandes.

Sem saída
O que se percebe, em todas essas TVs, é que existe o desejo e haverá o esforço de se fazer o maior número de jogos no estádio.

Todos, será impossível. O quebra-cabeça, em se tratando da primeira fase, é escolher quais.

Nada ainda
A direção da Band deixou para o início de janeiro a decisão de uma nova edição do “Exathlon”.

No entanto, são muitos os votos contrários para uma segunda temporada. As dores de cabeça apresentadas na primeira não recomendam.

Preciso dizer
“O Outro Lado do Paraíso” teve problemas, se modificou depois do grupo de discussão realizado, mas em nenhum momento houve qualquer oscilação no trabalho dos seus atores.

Todos com desempenho muito bom. Méritos para o diretor Mauro Mendonça Filho e equipe.

O interessante
Vale destacar que, mesmo de maneira sutil, alguns personagens sofreram mudanças com o decorrer de “O Outro Lado do Paraíso”.

Ainda assim tudo foi feito ou contornado habilidosamente, sem causar qualquer choque ou estranheza no público presente.

Divulgação/SBT
O elenco mirim de "As Aventuras de Poliana", próxima novela infantil do SBT Imagem: Divulgação/SBT
Folga geral
O elenco de “Poliana”, próxima novela do SBT, ganhou folga de fim de ano.

Os trabalhos foram paralisados antes do Natal e só serão reiniciados na primeira semana de janeiro. Mas aí, pra valer. A ideia é estrear com, no mínimo, 60 capítulos na frente. Ou até mais.

Nada agora
O planejamento de “Poliana” prevê que serão 500 capítulos. Não menos do que isso, o que vai dar perto de dois anos de exibição.

Portanto, todo e qualquer trabalho sobre a escolha de uma próxima novela só acontecerá em meados de 2019.

Escala
Plantão de Ano Novo nos jornais da Band. A partir de hoje a escala passa a ser a seguinte:
“Café com Jornal”: Juliano Dip e Laura Ferreira
“Jornal da Band”: Luiz Megale e Caroline Nogueira
“Jornal da Noite”: Sérgio Gabriel

Paradoxal
Este, talvez, foi o ano mais difícil para as TVs, como empresas, nas últimas duas décadas. A crise ainda em curso judiou bastante.

No entanto, 2017 vai terminar como um dos melhores em audiência dos últimos tempos. Nunca se assistiu tanta televisão. Principalmente TV aberta.

Melhor dos “Trapalhões”
No Viva, dia 1º, estreia nova temporada dos “Trapalhões”, aquela que foi produzida em 1988. 

De acordo com Renato Aragão, um momento em que ele e seus companheiros, Dedé, Mussum e Zacarias, “estavam voando nas noites de domingo da Globo”.

Bate – Rebate
• O último “Domingão do Ano”, além da homenagem ao Caetano Veloso, também terá um “Ding Dong” especial...
• ... O quadro, um dos sucessos do programa, tem muito a mão da equipe de criação do “Domingão”, liderada pela Luciana Cardoso.
• Mesmo com a entrada do Bruno Bernardes no lugar do Luizinho Nascimento, o “Fantástico” continuará seguindo a mesma linha...
• ... Não existem mudanças previstas no corpo do programa...
• ... Pelo menos, neste primeiro momento.
• Entre os tantos programas de culinária, Rodrigo Hilbert, no GNT, está conseguindo se destacar com o dele...
• ... Além de usar de muita simplicidade e bom humor, tem facilidade de passar o seu recado.
•  “Criativos.Br - Moda e Identidade”, estreia dia 6 de janeiro nas nove emissoras do SBT Nordeste e no Fashion TV...
• ... O formato da série foi idealizado pela produtora baiana Vânia Lima.

• Colaborou José Carlos Nery

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!