Topo

Coluna

Flávio Ricco

Planejamento é a palavra para sucesso da Teledramaturgia da Globo

Reprodução/Instagram/deluizmiranda
"Malhação: Vidas Brasileiras" - Séries e novelas passaram a ter mais organização na grade da teledramaturgia Imagem: Reprodução/Instagram/deluizmiranda
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

14/03/2018 00h06

Em várias oportunidades aqui foi destacado o modelo de trabalho adotado pela Teledramaturgia da Globo, após a chegada de Silvio de Abreu. Hoje, constata-se, o que já era bom, ficou ainda melhor.

Profundo conhecedor da área, até por estar metido nisso desde os tempos da Tupi, ele conseguiu impor um planejamento sério para todas as faixas de horário. De “Malhação” até as superséries, tudo passou a ser organizado com antecedência de 3 ou até 4 anos, possibilitando a todos trabalhar com uma segurança que não existia e diminuir drasticamente os custos de produção.

Os resultados, todos muito bons e sem sustos em horário nenhum, são só simples consequência.

O verso do inverso é a Record. Lá, parece, a palavra ordem não existe. Com “Jesus” para estrear, ninguém sabe até agora quando terão início as gravações. Se “Topíssima” irá substituir a reprise de “Os Dez Mandamentos” é outro caso do “só acredito vendo”. Pode dar certo assim? Claro que não.

E o pior é que não aprende.

Improcedente
Na segunda-feira circularam rumores na Bandeirantes, apontando a editora-executiva Tatiana Saad para o cargo de diretora de esportes, em substituição a Humberto Candil.
A própria emissora faz questão de informar que ainda não existe ninguém fechado para assumir esse cargo. O assunto está em avaliação.

Novos desafios
Fabio Danesi, Camila Raffanti e Alexandre Soares Silva, os roteiristas da Mixer Films que escreveram “O Negócio” (HBO) e “Rio Heroes” (Fox), agora estão envolvidos no projeto de um longa para  Globo Filmes.
Gênero comédia dramática, que terá direção de Michel Tikhomiroff.

Estevam Avellar/TV Globo
Isabella Santoni posou para foto com Thiago Lacerda e Vera Holtz em "Orgulho e Paixão" Imagem: Estevam Avellar/TV Globo

Pra conhecer
Isabella Santoni ainda não começou a gravar como a Charlotte de “Orgulho e Paixão”.
Porém, mesmo sem ser chamada, foi ver de perto como tudo funciona e acabou fazendo uma visita surpresa ao elenco. Também aproveitou para rever antigos companheiros de “A Lei do Amor”, Thiago Lacerda e Vera Holtz.

Ficou estranho
No parte, reparte, da sua grade da manhã, verifica-se que a Rede TV! errou feio na divisão praticada.
Com metade da faixa vendida, sobram três horas para os palhaços da Ultrafarma, João Kleber, Edu Guedes e Zucatelli. Um coladinho e apertadinho no outro. Não tem como dar certo.

Munir Chatack/ Record TV
Em “Apocalipse”, novela da Record, Zoe (Juliana Knust) consegue sobreviver a um desastre de avião provocado por Ricardo Montana (Sérgio Marone). Capítulo desta quarta. Imagem: Munir Chatack/ Record TV
 Caso pior
João Kleber e o Edu ainda têm uma hora cada um, mas para o Zucatelli sobra apenas meia.
Com merchandisings e intervalo, o tempo de arte se resume a quase nada. É bem o caso de se virar nos 30 e conseguir algum milagre.

A vez delas
Depois do FOX Sports e ESPN, o Esporte Interativo também está em busca de uma narradora de futebol.
Sem ainda um nome definido, a procura está em curso.

Vale dizer
Narradoras esportivas, pelo menos em São Paulo, não chegam a ser nenhuma novidade.
Lá atrás, a rádio Mulher chegou a fazer isso e Claudete Troiano, por exemplo, foi uma delas. Chico Anysio e Arnaud Rodrigues entravam, de vez em quando, como convidados especiais.

À francesa
Alexandre Raposo deixou a Rede TV!. Chamado em 2014 para assumir a vice-presidência de assuntos institucionais, passou os últimos tempos muito mais a serviço do departamento comercial.
De acordo com ele, foi uma saída amistosa, ajustada e amadurecida desde o final do ano passado. Ninguém no lugar.

André Muzell/Brazil News
Gusttavo Lima entrará ao vivo no "Fofocalizando" desta quinta-feira Imagem: André Muzell/Brazil News

Agilidade
No SBT, o “Fofocalizando” está investindo cada vez mais na participação ao vivo de artistas no programa.
Nesta quinta, Gusttavo Lima vai entrar com Leo Dias direto de Goiânia. Na próxima terça, será a vez de Joelma. 

Automobilismo
A volta da Fórmula Indy no domingo rendeu apenas 1,2 ponto na Grande São Paulo, de acordo com o Ibope.
De qualquer forma, a Band promete fazer a maioria das provas desta temporada ao vivo. Até por falta de alguma coisa melhor.

Últimos dias
Depois de Flávio Tolezani e Sandra Corvoleni, entre outros, também chegou para Bárbara Paz a hora do adeus em “O Outro Lado do Paraíso”.
Jô, má daquele jeito, vai e vai de vez, mas não sem antes se recusar a ajudar Adriana (Julia Dalavia), como doadora compatível.

Próximo passo
Depois de três anos à frente da chefia de redação e de conteúdo da Rede TV!, Lídice Leão deixou a emissora e vai investir agora na carreira de assessora de comunicação. Saída por cima.
Na casa, ela dirigiu programas como “Documento Verdade” e “Retrospectivas”, sempre com bons índices.

Bate – Rebate

• O troca-troca envolvendo Jéssica Senra, na Bahia, da Record para uma afiliada da Globo, na opinião de muitos não vai dar em nada...
• ... Porque a carga horária dela, pouco mais de 30 minutos no ar, não terá como abalar as 3 horas de duração do concorrente Bocão...
• ... Esse é aquele que, em matéria de apelação, ninguém chega perto.
• Leonor Corrêa, liberada de “Carinha de Anjo” e elogiada pelo trabalho, também está envolvida no projeto “Z 4 “, parceria da Disney e SBT...
• ... O estabelecido é que serão 26 episódios...
• ... Ela, Leonor, vai fazer a supervisão de texto.
• Além de levantar os índices da Band em São Paulo, o “Música na Band” também registrou bons números em outras praças...
• ... Média positiva de 44% no PNT, de acordo com a emissora...
• ... Em Belo Horizonte, o crescimento foi de 75%; no Rio de Janeiro, 41%; Salvador: 40%, e Porto Alegre: 36%.

*Colaborou José Carlos Nery