PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Flávio Ricco

TVs cada dia mais pobres pagam seus fracassos em dólares

"Exathlon Brasil" foi outro dos grandes fracassos que a TV foi buscar lá fora - Ayhan Y?ld?z/ Divulgação
"Exathlon Brasil" foi outro dos grandes fracassos que a TV foi buscar lá fora Imagem: Ayhan Y?ld?z/ Divulgação
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

05/07/2018 00h06

Longe de ser um simples acaso, todas as próximas grandes estreias, independentemente de nome de emissora ou número de canal, são formatos que vieram de fora.

Prevaleceu, como fato consumado, a lei do menor esforço.

Se a TV do Brasil chegou ao estágio que está, a ponto de ser reconhecida como uma das mais importantes do mundo, isto se deve unicamente a indiscutível capacidade de trabalho dos seus profissionais.

Aqui, desde o começo e dentro das possibilidades oferecidas, foi criado um jeito próprio de fazer televisão, que deu origem aos shows musicais e humorísticos da Record, as novelas da Tupi, Excelsior e depois Globo, além do surgimento de grandes comunicadores. Entre outras históricas conquistas.

Nada contra assimilar o que é bom, pouco importando a sua origem, só que isso está se transformando em norma de conduta. A exceção, hoje, é o criar alguma coisa, contra a compra do prato pronto, não por acaso os tantos ananases e prejuízos a cada "BBB", "The Voice” ou "MasterChef".

Valorizar apenas o que vem de fora, com tantos dólares saindo pelo ralo, continua custando o emprego de milhares de brasileiros.

Até em função disso, as emissoras de TV, em sua maioria, estão na dificuldade que estão, com o chapéu na mão, mas insistindo em deixar as produtoras de conteúdo cada dia mais milionárias.

Um absurdo

Onde já se viu pagar royalties para produzir programas de culinária, calouros, entrevista e outros tantos que tais? É só o que está acontecendo.

E é dai para pior. Não há nenhum movimento que indique qualquer mudança no rumo das coisas.

Passar a limpo

Nada a ver com os assuntos colocados, mas tão grave como, o nível de desinformação atual.

O que dizer de uma participante do "Caldeirão", do Luciano, formada em jornalismo, que não soube responder o nome da capital do Paraná? Muito menos quem escreveu a carta do Brasil a Portugal. Disse que foi Cabral.

Silvio Luiz e Renata Alves serão os convidados de "O Céu é o Limite", sábado, na RedeTV! - Divulgação/RedeTV! - Divulgação/RedeTV!
Silvio Luiz e Renata Alves serão os convidados de "O Céu é o Limite", sábado, na RedeTV!
Imagem: Divulgação/RedeTV!

Ponto a favor

Dos mais esclarecedores o programa "Bem Estar", ontem, na Globo, ao falar sobre as formas de prevenção da transmissão do vírus HIV.

O programa prestou um grande serviço à população em geral, com a participação e contribuição dos médicos convidados.

A propósito

Que o "Bem Estar", em suas próximas edições, se não o fez, também possa abordar a questão do sarampo.

Hoje com vários casos em diversas regiões do país. Onde já se viu? Era uma doença praticamente extinta, mas que alguns setores permitiram voltar. Tem que vacinar. Se deixar levar por conselhos idiotas dá nisso.

Deu um tempo

José Loreto vai ter que dar um tempo nas pesquisas que vinha fazendo para viver o ex-jogador e comentarista Casagrande no cinema.

Agora, como prioridade, passa a se dedicar inteiramente ao bad boy Eurico Rocha Júnior, seu personagem na nova novela de Aguinaldo Silva, substituta de "Segundo Sol".

Diante disso

"O Sétimo Guardião" ficará no ar na Globo entre novembro e abril e só depois disso o Loreto mergulhará nas filmagens de "Casagrande e Seus Demônios".

A produtora responsável, Media Bridge, chamou o cineasta Mauro Lima para dirigir este trabalho e prevê o lançamento para 2019.

Questão de talento

Rafael Cardoso caminha para mais um protagonista na Globo, agora em "Espelho da Vida", substituta de "Orgulho e Paixão".

O interessante em relação a este jovem ator é que ele não é chegado ao marketing, "dispensa" assessoria, apesar de ter uma, e sempre se destaca em seus trabalhos. Não à toa, figura na lista dos principais autores da Globo.

Raphael Rezende e Julio Oliveira posam com a taça da Copa do Mundo no estúdio do SporTV, em Moscou - Letícia Vorcaro/SporTV - Letícia Vorcaro/SporTV
Raphael Rezende e Julio Oliveira posam com a taça da Copa do Mundo no estúdio do SporTV, em Moscou
Imagem: Letícia Vorcaro/SporTV

De um lado...

A família do José de Abreu se transformou em uma das atrações de "Segundo Sol". Um núcleo formado por atores experientes, com todas as condições de repetir o mesmo sucesso da família do Marcos Caruso e Eliane Giardini em "Avenida Brasil".

Até os diálogos na sempre presente mesa de refeições parece dar lugar a alguns improvisos. Receita que deu certo.

... Mas do outro

Como naquela família de "Avenida Brasil", em que a Carminha era o que existia de ruim, a de "Segundo Sol" tem no Remy (Vladimir Brichta) o retrato perfeito do que se imagina de mais canalha e mau caráter.

Além de chantagear o pai, transa com a mulher do irmão, que também é uma ordinária de quinta. Tudo que há de pior.

Bate – Rebate

• O "Cartão Verde", da TV Cultura, recebe nesta quinta-feira, às 22h30, o ex-jogador Marcelinho Carioca.
• De férias na Rússia, Fábio Porchat volta segunda-feira ao Brasil...
• ... E deve retomar as gravações do seu programa na Record já no dia seguinte.
• Mesmo com feriado em São Paulo, segunda-feira, Revolução Constitucionalista, programa da Sabrina vai gravar normal.
• A Record conclui nesta sexta-feira as gravações de "Jesus", sua nova novela, nas locações do Marrocos...
• ... Para que tudo pudesse sair como combinado, foi fundamental o entrosamento das equipes, de roteiro à direção...
• ... As informações que chegam de lá é que tudo correu de acordo com o planejado.
• O início das obras do prédio residencial, em frente à sede da Bandeirantes, foi definido para setembro...
• ... Diante disso, a emissora e seus funcionários passaram a ter um prazo maior para continuar utilizando as instalações ali ainda existentes.

*Colaborou José Carlos Nery

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco