Topo

Coluna

Flávio Ricco

Globo reduz duração de novelas e "alivia" pressão sobre autores

Globo/João Cotta
Gagliasso e Marina gravam "O Sétimo Guardião": novela de 155 capítulos Imagem: Globo/João Cotta
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

09/09/2018 00h05

Foi uma boa essa ideia da Globo em estabelecer uma duração entre 150 e 160 capítulos para suas novelas das 18h, 19h e 21h - “Malhação” não entra nessa conta.

Essa redução, batalha antiga também dos atores, primeiro que tira toda uma pressão de quem escreve e permite acelerar processos, evitando assim as intragáveis  “barrigas” ou encheção de linguiça.

O modelo atual imposto pela Globo, no entanto, também exige que o roteirista titular entregue cerca de 70 capítulos antes do início dos trabalhos, decretando mais empenho dos profissionais envolvidos nas suas novelas.

Só que tempo para “criar” não chega a ser problema para nenhum deles, devido ao rodízio no setor. A questão pega mesmo quando o principal interessado, o público em casa, não compra a proposta. Aí vira um deus nos acuda!

Mas até nesse caso, rejeição do telespectador, uma menor duração de novela acaba jogando muito a favor, porque permite pensar melhor a próxima.   

Em tempo: “Orgulho e Paixão” chegará ao fim com 162 capítulos; “Segundo Sol”, 155; mesma quantidade estabelecida para “O Sétimo Guardião”.

*Colaborou José Carlos Nery

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!