PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Flávio Ricco

Falação do Galvão Bueno no "Bem Amigos" é digna de entrar no Guinness

Galvão Bueno, no "Bem, Amigos", após voltar das férias - Reprodução/SporTV
Galvão Bueno, no "Bem, Amigos", após voltar das férias Imagem: Reprodução/SporTV
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

19/09/2018 00h05

O cronômetro, tão em questão nos debates e entrevistas eleitorais, bem que podia, um diazinho só, entrar em ação no “Bem, Amigos!”, do SporTV.

Mais que a curiosidade e tanto incômodo, seria importante levantar quanto tempo Galvão Bueno fala a mais que todos os outros participantes, total de 8, somados.

Não é por nada, mas podemos ter por aí uma marca histórica. Digna do Guinness, livro dos recordes.

Depois de um período dedicado a férias, Galvão voltou anteontem ao comando do programa, que recebeu Edu Gaspar, coordenador de seleções da CBF.

O interessante é que, independentemente da importância do convidado ou demais integrantes ou colaboradores, o titular foi o de sempre, raramente distribuindo o jogo ou passando a bola.

Tomou conta da palavra quase o tempo todo e, mais uma vez, não aliviou para Neymar:

“...Não é duro ser Neymar. Duro é acordar 4 horas da manhã e pegar três ônibus para trabalhar, não ter dinheiro para colocar em casa, não poder dar ensino direito para o filho...”, criticou o sempre acelerado Galvão.

*Colaborou José Carlos Nery

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco