PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Flávio Ricco

Globo vai usar ex-participantes do "The Voice Brasil" em novo programa

Priscila Tossan será uma das participantes de "Os Melhores Anos das Nossas Vidas" - Reprodução/Instagram
Priscila Tossan será uma das participantes de "Os Melhores Anos das Nossas Vidas" Imagem: Reprodução/Instagram
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

03/10/2018 00h05

Após recrutar ex-participantes do “Big Brother” para o “Vídeo Show”, casos de Ana Clara, Vivian Amorim e Fernanda Keulla, a Globo, agora, vai dar chance para os principais destaques do recente “The Voice” no novo programa das noites de quinta-feira, o game show “Os Melhores Anos das Nossas Vidas”.

Os cantores, entre eles Priscila Tossan, Juliano Barreto, Kevin Ndjana e Day, serão chamados para compor os cinco times de participantes desta nova aposta que será comandada por Lázaro Ramos e tem estreia marcada para 11 de outubro. Além de fazer parte dos grupos, eles também irão interpretar grandes sucessos da música.

“Melhores Anos” vai apresentar uma disputa entre as décadas de 1960, 70, 80, 90 e 2000. A cada semana representantes de duas décadas se enfrentam, e cada uma delas terá um artista conhecido como membro fixo.

Os cinco escalados para agitar esses grupos são Ingrid Guimarães, Marco Luque, Marcos Veras, Rafaela Brites e Lúcio Mauro Filho.

Em texto divulgado hoje pela Globo, Lazaro Ramos diz que o programa “é totalmente diferente de outros formatos que eu apresentei. Um bate papo agradável num fim de noite, mais relaxado, para divertir as pessoas. É uma sensação inevitável de nostalgia a cada exibição de antigas imagens, uma coisa boa de poder rever e resgatar a memória afetiva das pessoas, além da minha também”.

“Gosto muito da parte informativa do programa e de ter a oportunidade de relembrar as notícias, as músicas e filmes, e aprender. Acima de tudo é uma festa boa de estar. O bacana é que ele também gera reações muito espontâneas”.

E conclui: “Se você vê alguma coisa que te lembra algo,  automaticamente, lida com a memória e com o seu emocional. É uma grande festa onde todo mundo se reúne para falar de fatos marcantes que aconteceram no nosso país e no mundo”.

*Colaborou José Carlos Nery    

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco