Topo

Coluna

Flávio Ricco


Aguinaldo Silva consegue liminar contra ex-aluno: "postagens depreciativas"

Imagem/Arquivo pessoal
Aguinaldo Silva e Silvio Cerceau Imagem: Imagem/Arquivo pessoal
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

12/01/2019 22h12

A Justiça (6ª Vara Empresarial do TJRJ) concedeu uma liminar ao escritor Aguinaldo Silva em processo que move contra um ex-aluno do seu curso Master Class, Sílvio Cerceau, que reivindica coautoria de "O Sétimo Guardião".

"Trata-se de uma ação em que se busca a retirada de postagens depreciativas da imagem do autor e que geram dúvidas quanto a autoria de obra de sua titularidade", de acordo com o processo.

Conforme decisão, Cerceau fica proibido de fazer manifestações contra Silva e terá que retirar tudo que publicou nas redes sociais sobre o autor da Globo e a novela "O Sétimo Guardião".

Em caso de desobediência, terá que pagar multa diária de Cinco Mil Reais. Também foi decretado o monitoramento das redes sociais de Cerceau para se certificar que está cumprindo a decisão judicial.

Por enquanto, trata-se de uma liminar. Porém, até que a Justiça pronuncie a sentença final, o ex-aluno não poderá fazer novas manifestações sobre o autor e novela.

Veja trecho da decisão: 

Reprodução
Imagem: Reprodução

Outro lado:

Em contato com a coluna, Silvio Cerceau declara que "essa liminar faz parte de um novo processo aberto pelo Aguinaldo Silva em novembro de 2018, poucos dias após a estreia da novela. Eu ainda não tenho conhecimento e nem fui intimado, sei que no processo Aguinaldo pede que eu apague as postagens nas minhas redes sociais, as quais eu declaro que sou coautor da sinopse com mais 25 roteiristas e que a novela é escrita por ele".

E prossegue: "Isso é um equívoco, eu sou coautor da sinopse, reconhecido pela Rede Globo. No dia 12 de novembro a Rede Globo juntou no processo da 33ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, uma petição onde reconhece essa coautoria e os créditos são exibidos todos os dias no encerramento do capítulo. Aguinaldo deveria me esquecer e cuidar de escrever a novela que tá um fracasso".

*Colaborou José Carlos Nery