PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Flávio Ricco

"Champions" perde visibilidade sem a "vitrine" da TV Globo

O argentino Messi em disputa de bola pela "Liga dos Campeões" - JEFF PACHOUD/AFP
O argentino Messi em disputa de bola pela "Liga dos Campeões" Imagem: JEFF PACHOUD/AFP
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

04/03/2019 00h05

Não há como negar: a "Liga dos Campeões" (Champions League) perdeu força e toda vitrine que tinha, após o fim da parceria com a Globo, na aberta, que repassava partidas para a Band. Foi bola cantada e nem tinha como ser diferente.

A Turner, via Space e TNT, está comprometida com a "Liga dos Campeões" da Uefa por mais duas temporadas, a exemplo do Facebook. Mas, dados os custos astronômicos dos direitos e questão de audiência, resta saber como ficará o cenário daqui a algum tempo, quando as partes começarem a discutir se vale a pena ou não renovar. Porque decididamente o impacto já não é mais o mesmo.

O Grupo Globo sempre viu a "Liga" como um produto interessante e não só por reunir grandes astros em seus confrontos, mas também por contar com vários brasileiros. A audiência por aqui crescia a cada temporada, o que certamente levou os europeus se sentir no direito de elevar os preços dos pacotes de transmissão. 

Porém, entre fazer "loucuras" para continuar mostrando o torneio e andar com os pés no chão, prevaleceu o bom juízo.

Importante ressaltar que não se trata de uma torcida contra Turner ou Facebook. Apenas a constatação de que não se pode abrir mão da audiência da televisão aberta. 

Veja, por exemplo, o sucesso da Sul-Americana com os jogos do Corinthians... Na Rede TV!.  

*Colaborou José Carlos Nery
 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco