PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Flávio Ricco

Disney se prepara para anunciar venda do Fox Sports

Imagem
Imagem: Imagem
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

19/03/2019 00h05

A Disney, que adquiriu o grupo Fox, vai anunciar em breve a separação do Fox Sports de seu portfólio de canais.

O procedimento consta de acordo firmado com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e fará parte do processo de venda do canal, que será conduzido por um banco e terá que seguir rigorosas normas de governança corporativa dos agentes envolvidos.

Além, é claro, de receber os envelopes e analisar as melhores ofertas que estiverem alinhadas com a avaliação estipulada.

Exigências de compliance (conformidade com leis e regulamentos) podem inviabilizar a participação de muitas empresas na disputa pelo Fox Sports. No setor de comunicação, por exemplo, todas as com vínculos políticos e religiosos.

Globo e Bandeirantes, por sua vez, já estarão legalmente fora por já possuírem canais esportivos na TV paga.

Da grande rede de TV aberta, o SBT poderia se apresentar como forte candidato. Além de não ter qualquer restrição, possui uma excelente relação comercial com o grupo Disney, tendo transmitido até o ano passado duas horas de sua programação infantil.

Resta saber se existe interesse.

Como outra possibilidade, o grupo Turner, que, com o fim do Esporte Interativo, voltaria a investir em esporte ou, quem sabe, incentivar a criação de um modelo de negócio semelhante ao que foi feito com a CNN Brasil. Também não se pode descartar o interesse de um novo grupo, fora do setor de comunicação, que resolva investir na aquisição do canal.

O jogo pela aquisição do "FS" vai começar. A torcida é que a proposta acabe sendo a melhor para os profissionais da área e para o público em geral.

De acordo com o CADE, a venda do canal Fox Sports "tem como objetivo permitir que a estrutura do mercado permaneça com a mesma pressão competitiva anterior à fusão Disney-Fox, com a continuidade de três opções de canais de esportes para os consumidores no Brasil: SporTV (da GloboSat), ESPN (Disney) e mais uma nova empresa com os ativos do Fox Sports".

Ainda segundo o CADE, "o pacote de ativos a ser desinvestido inclui todos os direitos de transmissão de eventos esportivos pertencentes à Fox Sports, todos os contratos com operadoras de TV por assinatura, funcionários-chave, imóveis e equipamentos de transmissão. O prazo para que a Disney realize a venda é confidencial".

No acordo, a Disney se comprometeu ainda, por prazo determinado, "a não contratar as ligas esportivas transmitidas atualmente pelo canal Fox Sports e a não readquirir os ativos a serem vendidos".

Também se comprometeu a oferecer ao futuro comprador "a opção de licenciar gratuitamente a marca Fox". As informações estão no site do órgão.

*Colaborou José Carlos Nery

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco