Topo

Coluna

Flávio Ricco


"Éramos Seis" terá Antonio Calloni ambicioso e apaixonado por Glória Pires

Antonio Calloni será o marido de Glória Pires na nova versão de "Éramos Seis" - Raquel Cunha/ TV Globo
Antonio Calloni será o marido de Glória Pires na nova versão de "Éramos Seis" Imagem: Raquel Cunha/ TV Globo
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

31/07/2019 00h05

Um dos atores mais disputados do elenco da Globo, Antonio Calloni segue a rotina de bons personagens em produções da casa, após "O Sétimo Guardião" e "Assédio".

No remake de "Éramos Seis", com estreia prevista para 30 de setembro, ele viverá um dos protagonistas, Júlio, marido de Lola (Gloria Pires). Apaixonado pela esposa e por sua família, não consegue ter com os filhos Carlos (Xande Valois/Danilo Mesquita), Alfredo (Pedro Sol/Nicolas Prattes), Julinho (Davi de Oliveira/Andre Luiz Franback) e Isabel (Maju Lima/Giulia Buscacio) a mesma relação amorosa que a mulher estabeleceu com eles.

Vendedor na loja de tecidos de propriedade de Assad (Werner Schunemann), Júlio alimenta o sonho de um dia ser rico como o chefe e isso provoca conflitos com Lola. Enquanto, para ela, a casa é a alma da família, o marido só pensa o tempo todo em ficar milionário.

Substituta de "Órfãos da Terra", "Éramos Seis" é escrita por Angela Chaves e dividida em três fases (década de 1920, 1930 e, por fim, 1940). Trata-se de um remake da obra de Sílvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, que foi baseada no livro homônimo de Maria José Dupré. Tem como pano de fundo os acontecimentos políticos e culturais que marcaram a história do país nas primeiras décadas do século passado.

Ainda no elenco, Cássio Gabus Mendes, Kelzy Ecard, Ricardo Pereira, Eduardo Sterblitch, Walderez de Barros, Susana Vieira, Ellen Roche, entre outros.

"É sobretudo sobre afeto e amor em tempos de crise", explica a autora Angela Chaves.

"A história de dona Lola, família e amigos atravessa o tempo porque é encantadora e real. É uma alegria muito grande e também uma honra fazer o remake de Éramos Seis", conclui a autora.

*Colaborou José Carlos Nery