Topo

Coluna

Flávio Ricco


História do rapper Sabotage vai ser contada no cinema

Vida de Sabotage, morto em 2003, vai para o cinema - Folhapress
Vida de Sabotage, morto em 2003, vai para o cinema Imagem: Folhapress
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

30/08/2019 00h05

A Zazen, produtora de José Padilha, diretor de Tropa de Elite, vai rodar um filme sobre a vida do rapper Sabotage, nome artístico de Mauro Mateus dos Santos Filho.

Orçado em R$ 9 milhões, o longa-metragem já tem seu lançamento definido para 2020, ano que marca 17 anos da morte do cantor, uma das figuras mais importantes do rap nacional.

Na manhã de 24 de janeiro de 2003, Sabotage foi alvejado com quatro tiros em via pública, após deixar sua esposa, na época auxiliar de cozinha, em seu local de trabalho.

À época, o artista inspirava milhares de jovens com suas rimas carregadas de realidade. Sabotage saiu do tráfico para fazer versos sobre a vida na periferia e a violência da polícia. Ele havia participado do filme O Invasor (2002), dirigido por Beto Brant.

Sua morte provocou a prisão de Sirlei Menezes da Silva, sete anos depois do ocorrido.

*Colaborou José Carlos Nery