Topo

Coluna

Flávio Ricco


Record escala "garota de programa" para enfrentar JN e Rebeca Abravanel

Day Mesquita será a protagonista de "Amor Sem Igual" - Blad Meneghel/ Record TV
Day Mesquita será a protagonista de "Amor Sem Igual" Imagem: Blad Meneghel/ Record TV
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL

25/11/2019 00h05

Resumo da notícia

  • Personagem será interpretada por Day Mesquita
  • Novela vai brigar com Jornal Nacional e Roda a Roda
  • Romance lindo e difícil, promete autora Cristianne Fridman

A Record promove no próximo dia 10, às 20h30, a estreia de "Amor Sem Igual", novela de Cristianne Fridman, protagonizada por uma prostituta, cujo nome de guerra é Poderosa, interpretada por Day Mesquita. A produção vai bater de frente com o "Jornal Nacional"(Globo) e o "Roda a Roda", apresentado por Rebeca Abravanel no SBT.

"Amor Sem Igual" contará a história da garota de programa Angélica, a Poderosa, vivida por Mesquita, que despertará o amor de Miguel, papel de Rafael Sardão, um trabalhador rural. A trama será ambientada na cidade de São Paulo e também reúne no elenco Dani Moreno, Juan Alba, Selma Egrei, Françoise Forton, Heitor Martinez, Thiago Rodrigues, Sthefany Brito, Ernani Moraes, Paulo Figueiredo, Bárbara França, Eduardo Lago, Beth Zalcmann, Gabriel Gracindo, Pedro Nercessian, Castrinho, Manuela do Monte, entre outros.

Segundo Fridman, trata-se de uma novela romântica com muito humor, como 'Topíssima', mas com um peso maior no drama e na ação.

"São novos personagens, com universos bem diferentes de 'Topíssima'", explica a autora, que ainda fala sobre a representatividade da protagonista ser uma prostituta:

"Poderosa representa o percurso de transformação de uma mulher que não vê outra escolha na sua vida e, através do amor sem igual de Miguel, consegue enxergar que não é um objeto, mas uma mulher que merece viver plenamente".

"O público irá acompanhar um lindo e difícil romance. Um amor sem igual", conclui.

*Colaborou José Carlos Nery

Flávio Ricco