PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


"Zorra" fecha o ano com temporada das mais criativas

Fernando Caruso, como Bolsonaro, representa bem o "Zorra" da atual temporada - Fernando Caruso como Bolsonaro no Zorra (Reprodução/TV Globo).
Fernando Caruso, como Bolsonaro, representa bem o "Zorra" da atual temporada Imagem: Fernando Caruso como Bolsonaro no Zorra (Reprodução/TV Globo).
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

09/12/2019 00h05

Resumo da notícia

  • Gravações deste ano já foram encerradas
  • Fernando Caruso foi destaque como Bolsonaro
  • Programa aposta no mote tá difícil competir com a realidade

O elenco do "Zorra" já parou de gravar na Globo. Férias da companhia. São cerca de 40 atores para compor até 30 cenas que vão ao ar todos os sábados. E é preciso reconhecer que a temporada foi das melhores.

Ponto alto, sátiras à nossa vida política e em cima do governo Bolsonaro. Fernando Caruso, aliás, apresenta ao telespectador um Bolsonaro ao melhor estilo.

O ator aperfeiçoou a imitação e colocou o "presidente" no bolso. Na atual edição, foi a pegada principal e certamente não será diferente na próxima.

O mote "tá difícil competir com a realidade", no fim, não se caracteriza como um grande problema para sua equipe de redatores. É dali, da dura realidade, que na verdade surgem as melhores sacadas.

Basta lembrar como o humorístico transformou uma "live" do presidente, muito exaltado, no começo de novembro, num momento divertidíssimo, "disparando" na programação da própria TV Globo.

O estilo atual do "Zorra" pode até não fazer rir! Mas diverte.

Colaborou José Carlos Nery

Flávio Ricco