PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Flávio Ricco

CNN manda funcionários voltarem ao trabalho; grupo de risco ainda não

William Waack continua impedido de voltar à sede da CNN na Paulista  - Divulgação
William Waack continua impedido de voltar à sede da CNN na Paulista Imagem: Divulgação
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL

29/05/2020 20h43

Resumo da notícia

  • Funcionários em regime de home office irão retomar atividade presencial a partir de segunda-feira
  • CNN se apoia nas flexibilizações progressivas anunciadas pelo governo
  • Profissionais do grupo de risco, como William Waack, seguirão em casa
  • Canal de notícias é o primeiro entre as TVs a fazer essa convocação

O comando da CNN Brasil ordenou que os seus funcionários, atualmente em regime de home office, retomem suas atividades presenciais no escritório a partir da próxima segunda-feira(1º).

Porém, aqueles que pertencem ao chamado grupo de risco da doença (Covid-19), como é o caso do âncora William Waack, do "Jornal da CNN", por exemplo, devem permanecer em casa.

Veja o comunicado:

"Após o anúncio do Governo de São Paulo sobre a prorrogação da quarentena em SP, com algumas flexibilizações progressivas, foi decidido pelo Conselho da CNN Brasil que os funcionários que estavam em regime de home office devem voltar para suas atividades presenciais no escritório a partir da próxima 2ª feira, dia 01/06.

Funcionários que fazem parte do grupo de risco permanecerão exercendo suas funções no regime de home office, assim como outras exceções que serão comunicadas diretamente pelo diretor ou VP responsável".

A CNN Brasil é a primeira emissora a convocar seus profissionais, a partir da flexibilização feita pelo governo do Estado de SP. Globo, Record, SBT, entre outras, não adotaram a mesma medida.

A Record TV, vale destacar, reforçou o pedido por meio de comunicado para que os funcionários em home office não alterem sua rotina e nem os pertencentes ao grupo de risco.

"Só deverão retornar quando devidamente requisitado pela Record TV", avisou a emissora.

*Colaborou José Carlos Nery

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco