PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Flávio Ricco

Após ter telefone divulgado, Antonia Fontenelle diz que processará "Pânico"

"Pânico" colocou número do celular da Antônia Fontenelle no ar - Alex Palarea/AgNews
"Pânico" colocou número do celular da Antônia Fontenelle no ar Imagem: Alex Palarea/AgNews
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

07/03/2016 18h20

O "Pânico" tem o público dele, às vezes é divertido, mas os seus responsáveis custam a entender que o direito do programa vai até onde começa o do próximo. Seja quem for. O que fizeram com a Antonia Fontenelle, colocando no ar, o número do celular dela foi de uma irresponsabilidade extrema. Molecagem das piores.

Durante toda a última semana, desde a sua participação no programa da Eliana, quando falou que Nicole Bahls era "burra" e Anitta uma "chata", Fontenelle passou a ser procurada pelo "Pânico".

O Vesgo, imitando o Gugu, várias vezes tentou, mas não se falaram nenhuma vez. E, como não foi possível conseguir a entrevista, no programa da noite deste último domingo, o "Pânico" mostrou no ar, para quem quisesse ver, o número do seu telefone.

Evidente que a partir daí, a vida da apresentadora virou um verdadeiro inferno. Entre cantadas e ameaças de morte, teve de tudo um pouco. O advogado Carlos Sanseverino, conforme ela mesma informou à coluna, já está cuidando do caso. "Vou processar. Já acionei meu advogado", disse Antonia.

Por outro lado, todo mundo sabe que nenhum "BBB", quando é eliminado, por contrato pode falar com outra emissora. Isto é proibido. Em geral, isto sempre é respeitado.

Lucas Salles foi a Belo Horizonte e, se fazendo de amiguinho, gravou escondido com a eliminada Ana Paula. Levou na conversa. O que mais essa transgressão pode ter contribuído com a audiência do programa?

*Colaborou José Carlos Nery

Leia a coluna na íntegra

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco