Topo

Coluna

Flávio Ricco


Rompida com Paulo Henrique Amorim, Janine Borba faz depoimento emocionado

A jornalista Janine Borba  - Reprodução/TV Record
A jornalista Janine Borba Imagem: Reprodução/TV Record
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

11/07/2019 18h08

A apresentadora Janine Borba fez um depoimento emocionado numa rede social sobre Paulo Henrique Amorim, morto quarta-feira no Rio, aos 76 anos, de infarto fulminante.

Os dois apresentadores da Record estavam brigados há um ano, por divergências no programa Domingo Espetacular.

"Sabe por que me tornei apresentadora? Porque o PH exigiu que fosse eu a substituta dele no jornal da Band. Não sei de onde ele tirou essa ideia, nunca tinha apresentado um telejornal. Na noite da minha estreia sabia que ele estava assistindo, mas não podia imaginar que mandaria um recado. Pelo ponto eletrônico, ouvi meu diretor: 'O Paulo mandou te dizer que você está ótima!'", relatou a jornalista, dizendo que o episódio foi há mais de 20 anos..

"Desde então viramos amigos. Amigos de sair pra jantar, de frequentar a casa, de trocar segredos, de sentar e desabafar. De falar da vida e de tudo que ela nos traz, de bom e de ruim. Sei que fui uma boa ouvinte e me desculpem a modéstia, acho que fui uma boa conselheira também. Assim como ele foi pra mim!".

A âncora, que se prepara para um novo projeto na emissora, o Jornal da Record 24h, também contou que Amorim esteve ao seu lado em momentos difíceis.

"Foi um dos poucos amigos que eu recebi na minha casa quando estava grávida, de repouso pra não perder meus filhos gêmeos. Lembro do olhar assustado quando me viu deitada na cama sem poder levantar. "Paulo, tá tudo bem, vai dar tudo certo!" e ele disse: 'Confio em você'. Quando meus filhos nasceram, ele também estava lá! Foi o primeiro amigo que eu vi na maternidade. Sorriu e me disse baixinho: 'Já renovou seu contrato?'", conta.

Janine recorda do problema ocorrido nos bastidores do programa "Domingo Espetacular", em 2018, que isolou PHA das outras apresentadoras (Janine, Thalita Oliveira e Patrícia Costa). O clima ficou insustentável e foi motivo de reclamação junto à direção de jornalismo. Depois disso, durante a apresentação, ele não conversava mais com as colegas.

"No último ano, um desentendimento nos afastou. PH era um cara visceral, tudo na vida dele era 8 ou 80, não tinha conversa. Não consegui me reaproximar, apesar do meu esforço e então nos perdemos. E na última quarta feira, você se foi, sem que eu pudesse me despedir! Ficam as lembranças e um vazio no peito, como se faltasse uma última conversa, uma última risada, um último conselho de tantos que você me deu!"

Janine encerra seu depoimento se despedindo do amigo, sepultado hoje no Rio. "A vida leva, num piscar de olhos. Deveríamos ter nos lembrado disso. Pelo menos sei que nunca deixamos de gostar e torcer um pelo outro. Era uma torcida silenciosa, mas estava ali. A vida é assim, nos dá lições todos os dias, a gente é que não aprende! Descanse em paz PH! É a hora da sua viagem!".

Sabe porquê me tornei apresentadora? Porque o PH exigiu que fosse eu a substituta dele no jornal da Band. Não sei de onde ele tirou essa ideia, nunca tinha apresentado um telejornal. Na noite da minha estreia sabia que ele estava assistindo, mas não podia imaginar que mandaria um recado. Pelo ponto eletrônico, ouvi meu diretor:o Paulo mandou te dizer que vc está ótima!!!Ah PH, que gentileza a sua! Isso foi há mais de 20 anos.Desde então viramos amigos. Amigos de sair pra jantar, de frequentar a casa, de trocar segredos, de sentar e desabafar. De falar da vida e de tudo que ela nos traz, de bom e de ruim. Sei que fui uma boa ouvinte e me desculpem a modéstia, acho que fui uma boa conselheira também. Assim como ele foi pra mim! O Paulo esteve ao meu lado nos momentos mais difíceis! Foi um dos poucos amigos que eu recebi na minha casa quando estava grávida, de repouso pra não perder meus filhos gêmeos.Lembro do olhar assustado quando me viu deitada na cama sem poder levantar."Paulo, tá tudo bem, vai dar tudo certo!"e ele disse: "confio em vc". Quando meus filhos nasceram, ele também estava lá! Foi o primeiro amigo que eu vi na maternidade. Estava feliz por mim. Sorriu e me disse baixinho:"já renovou seu contrato?"Rsrs.Esse era o Paulo! No dia em que lancei meu livro, ele estava de férias e mesmo longe se fez presente. Mandou flores da Grécia, me desejando boa sorte. Só vc mesmo PH!! Mas no último ano, um desentendimento nos afastou. PH era um cara visceral, tudo na vida dele era 8 ou 80, não tinha conversa. Não consegui me reaproximar, apesar do meu esforço e então nos perdemos. E na última quarta feira vc se foi, sem que eu pudesse me despedir!Ficam as lembranças e um vazio no peito, como se faltasse uma última conversa, uma última risada, um último conselho de tantos que vc me deu! Deixamos pra amanhã né Paulo?!? Esquecemos que o "amanhã" não existe. A vida leva, num piscar de olhos.Deveríamos ter nos lembrado disso.Pelo menos sei que nunca deixamos de gostar e torcer um pelo outro. Era uma torcida silenciosa, mas estava ali. A vida é assim, nos dá lições todos os dias, a gente é que não aprende! Descanse em paz PH! É a hora da sua viagem!

A post shared by Janine Borba (@janineborba) on

*Colaborou José Carlos Nery