PUBLICIDADE
Topo

Executivo explica método de gestão de Silvio Santos: "tentativa e erro"

"Silvio sempre procurou perseguir a audiência e a forma dele de buscar isso é por meio de tentativa e erro", diz Maciel - Reprodução
"Silvio sempre procurou perseguir a audiência e a forma dele de buscar isso é por meio de tentativa e erro", diz Maciel Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

02/08/2020 10h34

Principal executivo do SBT há quase dez anos, José Roberto Maciel deu uma longa e interessante entrevista a Bárbara Sacchitiello, do "Meio & Mensagem", a principal publicação destinada ao mercado publicitário no Brasil. Otimista, o CEO acredita que o canal, que completa 40 anos em 2021, está pronto para enfrentar o futuro.

Maciel rejeita as críticas ao mau momento da emissora de Silvio Santos e sentencia: "O SBT se move e não cheira à naftalina".

Ao explicar algumas decisões inesperadas e incompreensíveis de Silvio Santos, Maciel diz: "O Silvio sempre procurou perseguir a audiência e a forma dele de buscar isso é por meio de tentativa e erro."

Pela raridade de ver o CEO do SBT falando em público, reproduzo abaixo alguns trechos da entrevista:

Fla-Flu no SBT
"É inegável o trabalho que a Globo construiu no futebol, mas a um preço muito alto. Os clubes precisam se profissionalizar para diminuir a dependência das receitas dos direitos de transmissão e para que isso seja democratizado. Não dá para ficar restrito a um único player do mercado, mas tem de ser viável para todo mundo, em uma relação ganha-ganha."

Pandemia
"Vivíamos uma fase muito promissora antes da pandemia. Em janeiro e fevereiro já estávamos acima do faturamento previsto para o período. Tivemos um primeiro trimestre fabuloso. Mas, depois, veio abril e foi um desastre para todo mundo, não só para a televisão, mas para o mercado, em geral."

Imagem desgastada
"Ainda existe uma sensação de que, por termos em nosso elenco 'meninos' como Silvio Santos, Carlos Alberto de Nóbrega e Raul Gil, a emissora é estagnada e cheira à naftalina. Isso não é verdade e, se fosse a realidade, não teríamos ganhado market share de 2015 para cá."

You Tube
"As pessoas dizem que o SBT não tem uma plataforma OTT (over-the-top) própria. Claro que temos! O YouTube é nosso play. Continuamos monetizando o conteúdo nas plataformas digitais e redes sociais com publicidade."

Jornalismo
"Fazer jornalismo sempre foi um grande desafio. Algumas pessoas atribuem isso a uma suposta crença de que o Silvio não gosta de jornalismo. Não é verdade. É muito mais difícil consolidar o pilar de informação em uma empresa onde o DNA é de diversão, de entretenimento. É fato que as pessoas se acostumaram a consumir muito mais entretenimento do que informação no SBT. E como TV é hábito, precisamos criar esse hábito do jornalismo nas pessoas."

Método Silvio Santos
"É muito difícil separar as decisões tomadas de forma executiva, pelos gestores, daqueles às vezes tomadas pelo Silvio. Alguma coisa que é feita pela gestão de forma bem sucedida será atribuída a ele, mesmo que ele não tenha participado, assim como, se algo der errado, será atribuído a ele, também. Ele sempre será culpado, para o bem ou para o mal. O Silvio sempre procurou perseguir a audiência e a forma dele de buscar isso é por meio de tentativa e erro."

Stycer recomenda
Era só o que faltava! Cancelaram a Paola Carosella

Novela Jesus vira maior ibope da Argentina e faz TV rival mudar grade

Jornalista de afiliada da Globo é demitida após denunciar assédio de chefe

Ex-chefe de afiliada da Globo nega acusação de assédio: 'Nunca aconteceu'

Melhor da semana
SporTV abre espaço para rivais em homenagem "ecumênica" a Rodrigo Rodrigues

Pior da semana
CNN troca nome do quadro de Garcia para enfatizar que se trata de "opinião"

Podcast
Papel da mulher no jornalismo de TV deve ser debatido após acusações de assédio, racismo e gordofobia

Uma versão deste texto foi publicada originalmente na newsletter UOL Vê TV, que é enviada às quintas-feiras por e-mail. Para receber, gratuitamente, é só se cadastrar aqui.

Siga a coluna no Facebook e no Twitter.

Mauricio Stycer