PUBLICIDADE
Topo

UOL Vê TV #26: Globo eleva o tom contra Bolsonaro

Mais UOL Vê TV
1 | 25
Siga o UOL no

Do UOL, em São Paulo

06/05/2020 04h00

Com o crescimento de casos da pandemia do novo coronavírus e o noticiário político em evidência com ações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o jornalismo da TV Globo se notabiliza por um tom mais crítico em relação ao governo e atos como os protestos contrários ao STF, com aglomeração de pessoas em frente ao Palácio do Planalto, como no último domingo, enquanto outras emissoras seguem por um caminho diferente, evitando qualquer conflito.

No podcast UOL Vê TV #26, Chico Barney, Débora Miranda, Flávio Ricco e Mauricio Stycer analisam a linha adotada pelo jornalismo da emissora carioca no aspecto político e também na parte didática em assuntos relacionados à covid-19, com o uso de máscaras pelos repórteres e o aviso recorrentes de ações não recomendáveis em tempos de pandemia, como a aglomeração de pessoas.

"O jornalismo da Globo está num momento mais incisivo em suas posições, fazendo uma cobertura bastante crítica do governo Bolsonaro, e uma cobertura bastante extensiva da pandemia de coronavírus. E esses dois assuntos se cruzam frequentemente. E tem dado demonstrações que deseja intervir mais nos assuntos", afirma Mauricio Stycer (disponível no vídeo acima a partir de 1:13).

"O caso no domingo no Fantástico a cobertura que a Globo fez da manifestação a favor do fechamento do Supremo Tribunal e do Congresso diante do Palácio do Planalto mostrou isso bastante claramente. Várias vezes tanto o Tadeu Schmidt quanto a Poliana Abritta se referiram ao ato como um ato antidemocrático e inconstitucional", completa o jornalista.

A interpretação diferente do noticiário também chama a atenção de Flávio Ricco, que vê uma divisão do país também presente entre as concorrentes na TV e cita também a questão financeira por trás da postura de algumas emissoras em relação ao governo.

"Assim como a nossa vida, assim como todos os brasileiros, a televisão está dividida, está a Globo de um lado e as outras do outro. A Globo tomou uma posição, ela é completamente crítica ao governo e as outras fazem apologia do governo. A interpretação da mesma notícia é completamente diferente entre, por exemplo, a Globo e a Record", diz Ricco.

"Nós não podemos ser hipócritas também de não falar que por trás de determinadas posições existe a questão do dinheiro. As emissoras que defendem algumas posições aí, é claro que elas querem se beneficiar de alguma coisa. Não é possível que num momento como este você fala para o pessoal ir para a rua não usando máscara ou voltar ao trabalho, voltar à vida normal, vai ficar doente, vai morrer", completa o jornalista.

Além da posição diferente entre as emissoras na cobertura do governo e da pandemia do novo coronavírus, o episódio também responde perguntas e aborda como deverá ser a próxima edição do reality show A Fazenda, da Record, as novidades anunciadas na programação da Band e o programa Mestres do Sabor no horário nobre da TV Globo. Tem ainda a votação dos melhores e piores da semana na TV.

Você pode ouvir o programa UOL Vê TV no Spotify, no Apple Podcasts ou em outros aplicativos de podcasts. No Youtube, a gravação do programa também é transmitida em vídeo. Podcasts são programas que podem ser ouvidos a qualquer hora e lugar -no computador, no smartphone ou em outro aparelho com conexão à internet. Os podcasts do UOL estão todos disponíveis em uol.com.br/podcasts.